A METÁFORA NA OBRA “A DIVINA COMEDIA” DE DANTE: UMA ANÁLISE HERMENÊUTICA DO CANTO IX

  • Camila Canha Da Luz Instituição de Ensino Superior Sant´Ana (IESSA).
  • Gabriel Martins Martins Instituição de Ensino Superior Sant´Ana (IESSA).
  • Danilo Silva Santos IESSA- Instituição De Ensino Superior Sant´Ana http://orcid.org/0000-0001-7597-8319
  • Donizeti Pessi pessi IESSA- Instituição De Ensino Superior Sant´Ana

Resumo

Quando se trata de obras literárias paira uma certa dificuldade na sua leitura, e ler é interpretar, surgem nesse campo as mais variadas considerações, que muitas vezes geram distorções e ambiguidade no ato ler-interpretar o texto. Por esse motivo a pesquisa pretende laçar luz sobre as questões de possível interpretação do texto literário, nesse sentido o texto “A Divina Comédia”, conforme os desdobramentos dos elementos linguísticos que perpassam a obra e a sua adequada interpretação. Para tanto revisam-se os estudos já concretizados por Ricoeur (2013), Eco (1993), e Alighieri (1981). São expostos os elementos simbólicos do canto IX da obra e submetidos as teorias dos filósofos, para resultar numa identificação do canto como uma grande metáfora que precisa ser corretamente interpretada.

Biografia do Autor

Camila Canha Da Luz, Instituição de Ensino Superior Sant´Ana (IESSA).
Acadêmica do curso Pedagogia.
Gabriel Martins Martins, Instituição de Ensino Superior Sant´Ana (IESSA).
Acadêmico do curso de Licenciatura em Filosofia.
Danilo Silva Santos, IESSA- Instituição De Ensino Superior Sant´Ana
Graduando Licenciatura em Filosofia - Instituição de Ensino Superior Sant'Ana (IESSA).
Donizeti Pessi pessi, IESSA- Instituição De Ensino Superior Sant´Ana
Professor do Departamento de Filosofia da Faculdade Sant’Ana

Referências

ALIGHIERI, Dante. Inferno. In: ______. A Divina Comédia. São Paulo: Abril Cultural, 1981, p. 21-122.

ECO, Umberto. Superinterpretando Textos. In: ______. Interpretação e Superinterpretação. São Paulo: Martins Fontes, 1993, p. 53-78.

RICOEUR, Paul. Metáfora e Símbolo. In: ______. Teoria da Interpretação: o discurso e o excesso de significação. Lisboa: Edições 70, 2013, p. 67-99.

Publicado
31-10-2018
Seção
Resumo Expandido