POR QUE CAROLINA MARIA DE JESUS FOI DESPEJADA DA SOCIEDADE LITERÁRIA CULTURAL

  • Rosângela de Arruda Araújo IESSA
  • Fernanda Simoni Borges IESSA
  • Kathleen Caroline Laskos IESSA
  • Fabiane Terezinha Lima IESSA
  • Izabele Caroline R. Gomes IESSA

Resumo

Resumo:  O presente trabalho analisa a obra: “Quarto de Despejo” de Carolina Maria de Jesus, sob o viés cultural, racial e social, na busca da ascensão emancipatória da identidade de sobrevivência no discurso literário. A metodologia da pesquisa baseou-se no paradigma qualitativo - comparativo acerca da construção da identidade na Pós modernidade, elencando pontos contraditórios como o essencialismo ou a identidade fixa.  Com base no referencial teórico em: Hall (1992), Silva (2016), Rey (2012), e Bosi (2015) serão mostrados os conceitos de literatura indenitária, cultural e a valorização do “ser humano” como reflexo dos processos centrais das sociedades modernas. Palavras-chave: Gênero literário diário. Identidade. Cultura. 

Biografia do Autor

Rosângela de Arruda Araújo, IESSA
Acadêmica 6º Período de Lic. Letras Português/Libras - IESSA
Fernanda Simoni Borges, IESSA
Acadêmica 6º Período de Lic. Letras Português/Libras - IESSA.
Kathleen Caroline Laskos, IESSA
Acadêmica 6º Período de Lic. Letras Português/Libras - IESSA.
Fabiane Terezinha Lima, IESSA
Acadêmica 6º Período de Lic. Letras Português/Libras - IESSA.
Izabele Caroline R. Gomes, IESSA
Professora Mestre Orientadora do Curso Lic. Letras Português/Libras- IESSA

Referências

Referências

BOSI. A. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 2015.

BURKE.P. O que é história cultural? tradução; Sérgio Góes de Paula, Rio de Janeiro; Zahar, 2005.

HALL. S. A identidade cultural na pós modernidade. - tradução; Tomas Tadeu da Silva, Guacira Lopes Louro. Rio de Janeiro DP&A. 1992.

JESUS. C.M. O quarto de despejo. Diário de uma favelada. São Paulo: Ática. 2007.

Marginal. Conceito. Disponível em <https://www.soteroprosa.com/single-post/2017/09/17/A-condi%C3%A7%C3%A3o-marginal> Acesso em:22/09/17 as 17:42

REY. F. G. Pesquisa qualitativa e subjetividade. Os processos de construção da informação. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

Publicado
16-11-2017
Seção
Resumo Expandido