A INTUIÇÃO CRIADORA NO PENSAMENTO ESTÉTICO DE JACQUES MARITAIN

Iuri Nack Buss, Ingrid Gayer Pessi, Donizeti Pessi

Resumo


O presente trabalho, de caráter qualitativo e de abordagem teórico-bibliográfica, tem como objetivo geral apresentar uma reflexão sobre a estética com base no pensamento do filósofo francês Jacques Maritain. Intenta ainda, como objetivo específico, compreender o conceito de intuição criadora na filosofia de Jacques Maritain e explicitar sua importância fundamental na criação artística como uma expressão genuína da integridade intelectual do homem-artista. Para fundamentar teoricamente a pesquisa recorreu-se à literatura de Jacques Maritain (1938; 1977). A discussão apresentada está balizada na reflexão estético-filosófica acerca da intuição criadora.

Texto completo:

PDF

Referências


IVANOV, Andrey. A noção do belo em Tomás de Aquino. Tese (Doutorado em Filosofia) – Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2006.

JAPIASSÚ, Hilton; MARCONDES, Danilo. Dicionário básico de filosofia. 3ª ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

KIRCHOF, Edgar Roberto. Estética e semiótica: de Baumgarten e Kant a Umberto Eco. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

MARITAIN, Jacques. Art and Scholasticism. Translated by J. F. Scanlan. New York: Charles Scribner’s Sons, 1938.

MARITAIN, Jacques. Creative Intuition in Art and Poetry. Bollingen Series XXXV-1. Princeton: Princeton University Press, 1977.

SAMPAIO, Laura Fraga de Almeida. A intuição na filosofia de Jacques Maritain. Trad.: Roberto Leal Ferreira. São Paulo: Edições Loyola, 1997.

SUASSUNA, Ariano. Iniciação à estética. 13ª ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2014.

VÁZQUEZ, Adolfo Sánchez. Convite à estética. Trad.: Gilson Baptista Soares. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

WILSON, Lucía. La Experiencia Estética En Jacques Maritain. Logos: Revista de Lingüística, Filosofía y Literatura, n. 6-7, p. 189, 1992.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.