Setting hospitalar: o impacto do estresse na saúde do profissional

Kassiely Zeni Trentin, Kelly de Lara Soczek

Resumo


A intenção deste artigo é retratar brevemente alguns dos fatores que interferem na atuação do profissional nos hospitais e como estes acontecimentos podem influenciar a saúde ocupacional. A partir da pesquisa bibliográfica, foram utilizados artigos, livros e revistas científicas, com o objetivo de identificar as possíveis estratégias de enfrentamento frente a situações estressantes. A seguir, apresenta o estresse e suas fases, sendo elas: alerta, resistência, quase exaustão e exaustão. Posteriormente colocando em pauta o estresse no setting hospitalar e definindo quais as possíveis atuações do psicólogo neste contexto, abordando o processo de resiliência. A partir disso, foi possível verificar a importância de todos os setores da saúde estarem cientes quanto aos problemas advindos do estresse, visto que se constatados com antecedência, poderão reduzir suas consequências.


Texto completo:

PDF

Referências


CAMPOS, T. C. P. Psicologia Hospitalar: a atuação de psicólogos em hospitais.

São Paulo: EPU, 1995.

GUERRER, F. J. L.; BIANCHI, E. R. F. Caracterização dos estresse nos enfermeiros

de unidades de terapia intensiva. Revista da Escola de Enfermagem da USP. São

Paulo, v. 42, n. 2, 2008.

ISMAEL, S. M. C. A inserção do psicólogo no contexto hospitalar. In:______. A

prática psicológica e sua interface com as doenças. 2. ed. São Paulo: Casa do

Psicólogo, 2010. cap.1, p.17-35.

IZAIAS, G. M. de et al. Síndrome de Burnout em Trabalhadores de Saúde em um

Hospital de Média Complexidade. Revista de Enfermagem UERJ. Rio de janeiro, v.

, n. 4, p. 524-529, out./dez. 2010. Disponível em: . Acesso em:

jun. 2016.

JACQUES, M.D.G.; CODO, W. Saúde mental & trabalho. 5. ed. Petrópolis: Vozes,

cap. 5, p.112-129.

LIMONGI FRANÇA, A. C.; RODRIGUES, A. L. Stress e Trabalho: uma abordagem

psicossomática. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

LIPP, M. O stress está dentro de você. 7. ed. São Paulo: Contexto, 2011.

LIPP, M.; TRICOLI, V. Relacionamentos Interpessoais no Século XXI e o Stress

Emocional. Novo Hamburgo: Sinopsys, 2014.

MORESI, E. Metodologia da Pesquisa. Brasília, DF, mar. 2003.

NORONHA, A.P.P; FERNANDES, D.C. Estresse Laboral: Análise da Produção

Científica Brasileira na Scielo e BVS-Psi. Fractal: Revista de Psicologia. [online].

v.20, n.2, p.491-502, jul/dez, 2008.

OLIVEIRA, R. J.; CUNHA, T. Estresse do profissional de saúde no ambiente de

trabalho: causas e consequências. Caderno Saúde e Desenvolvimento. Bahia, v.3,

n.2, 2014.

PRADO, C. E. P. Estresse ocupacional: causas e consequências. São Paulo, 2016.

RAMOS, A.Q.P. Preservação da Saúde Mental do Psicólogo Hospitalar. In:

ANGERAMI, V. A. Atualidades em Psicologia da Saúde. São Paulo: Pioneira

Thomson Learning, 2004.

RODRIGUES, A. L.; CAMPOS, E. M. P. Síndrome de Burnout. In: FILHO, Julio de

Mello; BURD, Miriam. Psicossomática Hoje. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. cap.

e 32, p.405-422.

ROSSI, L. Psicologia e Emergências Médicas. In: QUAYLE, J.; SOUZA DE LUCIA,

M. C. Adoecer: as interações do doente com sua doença. São Paulo: Atheneu,

p.169-177.

ROLIM, C. S. S. Estresse e síndrome de burnout em profissionais de enfermagem.

Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde. Vitória, v. 15, n. 3, p. 103-113, jul/set,

STRAUB, R. O. Estresse e Saúde. In:______. Psicologia da Saúde. Porto Alegre:

Artmed, 2005. cap. 4-5, p.115-190.

TABOADA, N. G.; LEGAL, E. J.; MACHADO, N. Resiliência em busca de um conceito.

Revista Brasileira Crescimento Desenvolvimento Humano. [online]. v.16, n.3,

p.104-113, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.