Representações da psicologia de cuidados paliativos em pacientes terminais com câncer: uma análise teórica

Alexandre Lopes Szczerepa, Viviane Santin, Marcos Vinicius Barszcz

Resumo




Resumo: Os cuidados paliativos se constituem como etapa importante para pacientes com doenças terminais. Partindo desse pressuposto, cabe analisar quais são as representações da psicologia de cuidados paliativos em pacientes terminais com câncer. Como a abordagem é ampla, recorreu-se ao discurso de autores que já se debruçaram sobre esta e outras temáticas. Para que este objetivo fosse alcançado, fez-se necessário compreender se tais autores possuem metodologias diferenciadas, ou se o número de formas de abordagem é limitado. Assim, foi possível perceber qual a posição do corpo teórico selecionado a respeito das representações de cuidados paliativos. A partir da pesquisa bibliográfica e qualitativa, por meio da análise e seleção das ideias de autores que dialogam com este campo do saber, foi possível perceber que a psicologia de cuidados paliativos ainda possui aspectos a serem discutidos. Não há consenso na afirmação de que a espiritualidade ajuda ou atrapalha o tratamento, assim como há intenso diálogo para afirmar se a tecnologia humaniza ou desumaniza as relações. Além disso, percebe-se que o contexto histórico proporcionou mudanças, mas ainda é importante efetuar transformações, para maior qualidade de vida dos pacientes em seus dias finais.


Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Monica Martins Trovo de. SILVA, Maria Júlia Paes da. A comunicação com o paciente em cuidados paliativos: valorizando a alegria e o otimismo. Rev esc enferm, USP, v. 41, n. 4, p. 668-74, 2007.

AZZI, Enzo. A situação atual da profissão de psicólogo no Brasil. In: YAMAMOTO, Oswaldo Hajime; COSTA, Ana Ludmila Freire (org). Escritos sobre a profissão de psicólogo no Brasil. Natal: EDUFRN, 2010. p.106-120.

BERTACHINI, Luciana; PESSINI, Leo. A importância da dimensão espiritual na prática dos cuidados paliativos. Rev Centro Universitário São Camilo, v. 4, n. 3, p. 315-23, 2010.

CASTRO, Déborah Azenha de. Psicologia e ética em cuidados paliativos. Psicologia: ciência e profissão, v. 21, n. 4, p. 44-51, 2001.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Col. Memória e sociedade. Trad. Maria Manuela Galhardo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

FLORIANI, Ciro A. Cuidados paliativos no domicílio: desafios aos cuidados de crianças dependentes de tecnologia:[revisão]. J Pediatr, v. 86, n. 1, p. 15-20, 2010.

FONSECA, João José Saraiva. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, Apostila, 2002. GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ed. São Paulo: Atlas, 2002. p. 61.

GUIMARÃES, Claudiane Aparecida; LIPP, Marilda Emmanuel Novaes. Um olhar sobre o cuidador de pacientes oncológicos recebendo cuidados paliativos. Psicologia: teoria e prática, v. 13, n. 2, p. 50-62, 2011.

HERMES, Hélida Ribeiro; ICA, Lamarca. Cuidados paliativos: uma abordagem a partir das categorias profissionais de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, n. 9, p. 2577- 88, 2013.

HERRERA, Miguel Hexel; ROHDEN, Fabíola. Prolongar ou libertar? o papel da tecnologia em cuidados paliativos. In: REUNIÃO DE ANTROPOLOGIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, 4., 2013. São Paulo. Anais...São Paulo: Universidade de Campinas, 2014.

MENDES, Juliana Alcaires; LUSTOSA, Maria Alice; ANDRADE, Maria Clara Mello. Paciente terminal, família e equipe de saúde. Revista da SBPH, v. 12, n. 1, p. 151- 173, 2009.

NETO, Luís Miguel; MARUJO, Helena Águeda. Propostas estratégicas da Psicologia Positiva para a prevenção e regulação do stress. Análise Psicológica, v. 25, n. 4, p. 585-593, 2012.

OMS. Organização Mundial da Saúde. Comitê de Peritos da OMS sobre Alívio da Dor do Câncer e Cuidados de Apoio Ativo. Alívio da dor de câncer e cuidados paliativos: relatório de um comitê de peritos da OMS. Genebra: Organização Mundial da Saúde; 1990. 75 p.

PERES, Mario Fernando Prieto et al. A importância da integração da espiritualidade e da religiosidade no manejo da dor e dos cuidados paliativos. Archives of Clinical Psychiatry, v. 32, supl. 1, p.82-87, 2007.

PESSINI, Léo. A filosofia dos cuidados paliativos: uma resposta diante da obstinação terapêutica. Mundo saúde (Impr.), v. 27, n. 1, p. 15-32, 2003.

RABELLO, Claudia Azevedo. Figueiredo Guimarães; RODRIGUES, Paulo Henrique de Almeida. Saúde da família e cuidados paliativos infantis: ouvindo os familiares de crianças dependentes de tecnologia. Ciênc saúde coletiva, v. 15, n. 2, p. 379-88, 2010.

REIGADA, Carla et al. O Suporte à Família em Cuidados Paliativos/Family Support in Palliative Care. Textos & Contextos, v. 13, n. 1, p. 159-169, 2014.

RODRIGUES, Juliana Stoppa Menezes; FERREIRA, Noeli Marchioro Liston Andrade. A experiência da família no cuidado domiciliário ao doente com câncer: uma revisão integrativa. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 13, n. 2, p. 338-46, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.