UM ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE SALA DE AULA DA EDUCAÇÃO INFANTIL

Ana Rúbia Alves dos Santos Carraro, Viviane Ribeiro Nunes, Gisele Regina Stasiak

Resumo


Investigou-se, por meio da avaliação de observadores, as estratégias de gestão de sala de aula utilizadas por professoras da educação infantil. Vinte professoras da educação infantil, com idade entre 22 e 46 participaram da pesquisa. O instrumento utilizado foi o Inventário de Boas Práticas (Webster-Stratton) e os dados coletados foram sistematizados utilizando-se o software SPSS (Statistical Package for the Social Sciences, versão 21). Verificou-se, de maneira geral, que as professoras utilizavam pouco as estratégias de gestão de sala de aula em seu cotidiano. Esse estudo exploratório trouxe elementos descritivos fundamentais para que propostas de formação e desenvolvimento de professores e de melhoria de suas habilidades educativas sejam inseridas preferencialmente nas salas de aula e que abranjam o cotidiano docente, seus saberes, vivências e desafios.


Texto completo:

PDF

Referências


ABBAS, M. Y.; OTHMAN, M.; RAHMAN, P. Z. M. A. Pre-school classroom environment: significant upon children’s’ play behaviour? Social and Behavioural Sciences, Malaysia, v. 49, p. 47-65, 2012.

AMERICAN PSYCHOLOGICAL ASSOCIATION (APA). Dicionário de Psicologia APA. Porto Alegre: Artmed, 2010.

BATISTA, A. P.; WEBER, L. N. D. Estilos de liderança de professores: aplicando o modelo de estilos parentais. Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 16, n. 2, p. 299-307, 2012.

______. Professores e estilos de liderança: manual para identificá-los e modelo teórico para compreendê-los. Curitiba: Juruá, 2015.

BOLSONI-SILVA, A. T. Habilidades sociais educativas, variáveis contextuais e problemas de comportamento: comparando pais e mães de pré-escolares. 2003. 188 f. Tese (Doutorado em Ciências e Psicologia) – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2003.

______; DEL PRETTE, A.; OISHI, J. Habilidades sociais de pais e problemas de comportamento de filhos. Argumento, Jundiaí, v. 9, p. 11-29, 2003.

______ et al. Habilidades Sociais e Problemas de Comportamento de Pré-Escolares: comparando Avaliações de Mães e de Professoras. Psicologia: Reflexão e Crítica, Bauru, v. 19, n. 3, p. 460-469, 2006.

BRAZELTON, T. B. O grande livro da criança: o desenvolvimento emocional e do comportamento durante os primeiros anos. Tradução de M. F. Peixoto. Barcarena, Portugal: Presença, 2013.

BROPHY, J. History of research on classroom management. In: EVERTSON, C. M.; WEINSTEIN, C. S. (Org.). Handbook of classroom management. New York, NY: Routledge, 2011. p. 17-43.

BURCHINAL, M. R. et al. Development of academic skills from preschool through second grade: family and classroom predictors of developmental trajectories. Journal of School Psychology, North Carolina, USA, v. 40, n. 5, p. 415-436, 2002.

BURCHINAL, M. et al. Instruction in Spanishin pre-kindergarten classrooms and child outcomes for English language learners. Early Childhood Research Quarterly, Virginia, USA, v. 27, p. 188-197, 2012.

CAMPOS, M. M. Educação infantil: o debate e a pesquisa. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 101, p. 103-127, jul. 1997.

DEL PRETTE, Z. A. P.; DEL PRETTE, A. Um Sistema de categorias de habilidades sociais educativas. Paideia, São Carlos, v. 18, n. 41, p. 517-530, 2008.

GARCIA, R. A. O lugar do cuidado na ação pedagógica com os bebês. In: COUTINHO, A. S.; DAY, G.; WIGGERS, V. (Org.). Práticas pedagógicas na educação infantil: diálogos possíveis a partir da formação profissional. São Leopoldo: Oikos, 2012. p. 56-69.

HAMRE, B. K.; PIANTA, R. C. Early teacher-child relationships and the trajectory of children’s school outcomes through eighth grade. Child Development, Minnesota, USA, v. 72, n. 2, 625-638, 2001.

______. Student-teacher relationships. In: BEAR, G. G.; MINKE, K. M. (Ed.). Children´s needs III: development, prevention and intervention. Bethesda, MD: National Association of School Psychologists, 2006. p. 49-60.

HOWES, C. et al. Ready to learn? Children’s pre-academic achievement in prekindergarten programs. Early Childhood Research Quarterly, North Carolina, USA, v. 23, p. 27-50, 2008.

JANUARY, A. M.; CASEY, R. J.; PAULSON, D. A meta-analysis of classroomwide interventions to build social skills: do they work? Social Psychology Review, Bethesda, MD, v. 40, p. 242-256, 2011.

KRAMER, S. As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no Brasil: Educação Infantil e/é fundamental. Educação & Sociedade, Campinas, v. 27, n. 96, p. 797-818, 2006.

LANDIS, J. R.; KOCH, G. G. The measurement of observer agreement for categorical data. Biometrics, Geórgia, v. 33, p. 159-174, 1977.

LANE, K. L. et al. Managing challenging behaviors in schools: research-based strategies that work. New York, USA: Guilford, 2011.

OLIVER, R. M.; WEHBY, J. H.; RESCHLY, D. J. Teacher classroom management practices: effects on disruptive or aggressive student behavior. Nashville, Tennessee, USA: The Campbell Collaboration, 2011.

PEREIRA, M. E. M.; MARINOTTI, M.; LUNA, S. V. O compromisso do professor com a aprendizagem do aluno: contribuições da Análise do Comportamento. In: HUBNER, M. M. C.; MARINOTTI, M. (Org.). Análise do Comportamento para a Educação: contribuições recentes. Santo André: ESETec, 2004. p. 11-32.

PIANTA, R. C. Enhancing relationships between children and teachers. Washington, DC: American Psychological Association, 1998.

______. Classroom management and relationships between children and teachers: Implications for research and practice. Handbook of classroom management: Research, practice, and contemporary issues, v. 8, p. 685-709, 2006.

REGRA, J. A. G. Aprender a estudar. In: HUBNER, M. M. C.; MARINOTTI, M. (Org.). Análise do Comportamento para a Educação: contribuições recentes. Santo André: ESETec, 2004. p. 225-242.

SIDMAN, M. Coerção e suas implicações. Campinas: Livro Pleno, 2001.

SKINNER, B. F. Tecnologia do ensino. São Paulo: Edusp, 1972.

STASIAK, G. R. Transição ao primeiro ano do ensino fundamental: percepção do estresse pelas crianças, suas características psicológicas e variáveis do seu contexto familiar. 2010. 147 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2010.

______. Avaliação sobre os Impactos do Programa Incredible Years Teacher Classroom Management às Professoras da Educação Infantil. 2016. 272 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016.

SYLVA, K. et al. Students’ education and developmental outcomes at age 16: effective pre-school, primary and secondary education (EPPSE 3-16) project. 2014. Disponível em: . Acesso em: 9 abr. 2015.

VALE, V. M. Tecer para não ter de remendar: o desenvolvimento socioemocional em idade pré-escolar e o programa Anos Incríveis para Educadores de Infância. 2011.Tese (Doutorado em Ciências da Educação) – Universidade de Coimbra, Coimbra, Portugal, 2011.

VASCONCELOS, L. A. Quem deseja uma criança que expressa opiniões? In: CONTE, F. C. S.; BRANDÃO, M. Z. S. (Org.). Falo ou não falo? Expressando sentimentos e comunicando ideias. Londrina: Mecenas, 2007. p. 111-128.

VIECILI, J.; MEDEIROS, J. G. A coerção e suas implicações na relação professor aluno. Psico-USF, Florianópolis, v. 7, n. 2, p. 229-238, 2002.

WEBER, L. N. D. et al. O estresse no trabalho do professor. Imagens da Educação, Curitiba, v. 5, n. 3, p. 40-52, 2015.

WEBSTER-STRATTON, C. How to promote children’s social and emotional competence. London, England: Paul Chapman, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.