O Conto de Fadas e o Desenvolvimento da Criança

Jacqueline Guimarães, Lilia Schainiuka Heil

Resumo


O presente estudo tem como objetivo discutir acerca do universo dos contos de fadas tradicionais e modernos e sua influência na formação da criança. Sabe-se que os contos de fadas exercem o fascínio do “encanto” e envolvem, tanto as crianças como os adultos, num mundo do “faz de contas” indo de encontro direto ao emocional, e isso ocorre desde os primórdios da humanidade, retratando a trajetória de um povo, seus marcos históricos, lendas e histórias infantis. A questão principal do estudo consistiu em determinar como se apresentam as relações entre os contos de fadas tradicionais e os modernos e o universo da literatura como mecanismo importante de formação integral das crianças, e teve como objetivo primordial trazer a discussão acerca do universo dos contos de fadas tradicionais e modernos e sua influência na formação da criança. Metodologicamente, adotou-se, face aos objetivos propostos a pesquisa exploratória e, mediante os procedimentos técnicos, a pesquisa bibliográfica. O texto apresentado buscou conhecer a história dos contos de fadas e a sua evolução com o passar dos anos, e, partindo desse conhecimento, trazer autores que enfatizam as possíveis práticas pedagógicas a partir desse gênero textual, sempre no intuito de pautada nos autores pesquisados, buscar a compreensão do o universo da literatura infantil e contos de fadas, para, posteriormente, poder analisar um conto contemporâneo e repensar a prática em sala de aula.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVICH, Fanny. Literatura Infantil: Gostosuras e Bobices. São Paulo: Scipione, 1997.174p.

_______. Conto de Fadas Simbólicos Mitos e Arquétipos. 2 edição. São Paulo. Ática. 1991.

________. Concepção de Infância e Literatura Infantil. São Paulo, Revista Linha

D’Àgua nº22. (2009). Disponível em: http://www.revistas.usp.br/linhadagua/article/view/37329 Acesso: 19/10/2017.

ALMEIDA, Juliana Bernieri; SLAVIERO, Angelice Melânia Barancelli. A influência dos contos de fadas nos contos modernos. Rei Revista de Educação do Ideau, Alto Uruguai, v. 8, n. 17, p.1-15, 03 jan. 2013. Semestral. Disponível em http://www.ideau.com.br/getulio/anterior/index/3/REI+06082014 Acesso em: 20 out. 2017.

AZEVEDO, Ricardo. Literatura infantil: origens, visões da infância e certos traços populares. Disponível em http:// www.ricardoazevedo.com/artigo07.htm. Acessado: em 20-07-217.

BETTELHEIM, Bruno. A psicanálise dos contos de fadas. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1980.

CAVALCANTI, Joana. Caminhos da literatura infantil e juvenil: dinâmicas e vivencias na ação pedagógica. São Paulo: Paulus,2002.

COELHO, Bethy. Contar Histórias Uma Arte Sem Idade. São Paulo. Ática. 1997.

COELHO, Nelly Novaes. Literatura infantil Teoria Análise Didática. 7° edição. Moderna, 2005

GREGORIN FILHO, José Nicolau. Literatura Infantil: Múltiplas Linguagens na formação de leitores. 2010. Disponível em: https://books.google.com.br/books?id=6XTJrrEcyEAC&printsec=frontcover&hl=pt-BR&source=gbs_ge_summary_r&cad=0#v=onepage&q&f=false Acesso: 19/10/2017

KUPSTAS Márcia. ET al. Sete faces do conto de fadas. São Paulo. Moderna, 1993. (coleção Veredas)

RESSURREIÇÃO, Juliana Boeira da. A importância dos contos de fadas no desenvolvimento da imaginação. 2010. Disponível em: http://facos.edu.br/publicacoes/revistas/ensiqlopedia/outubro_2010/pdf/a_importancia_dos_contos_de_fadas_no_desenvolvimento_da_imaginacao.pdf Acesso em: 15/10/2017.

SOSA, Jesualdo. A literatura infantil. Literatura Infantil: Autoritarismo e Emancipação. São Paulo: Ática, 1982.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.