AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PERCEBIDAS PELOS CONSUMIDORES, OCASIONADAS PELA SENSAÇÃO DE MEDO E INSEGURANÇA DESENCADEADOS PELA VIOLÊNCIA URBANA

Autores

  • Alceu Ruppental Meinen Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)
  • Henrique Ullmann Girardi Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)
  • Jonatas Guilherme da Silva Martins Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)
  • Priscila Ledermann Lima Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)
  • Zélia Cordeiro dos Santos Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)

Palavras-chave:

insegurança, sensação de medo, violência urbana.

Resumo

O propósito deste artigo é identificar as principais mudanças ocasionadas pela insegurança e sensação de medo das pessoas por causa da violência urbana. A primeira análise realizada, foi dos números estatísticos e explanação geral da situação do Brasil em relação a violência urbana. Em seguida apresenta-se referenciais teóricos, abordando a sensação de medo e de insegurança. Para maior enriquecimento deste estudo, foi realizada uma pesquisa mista, sendo a primeira etapa da coleta de dados um grupo focal, onde pode-se identificar pontos importantes para maior exploração e aprofundamento do assunto na etapa seguinte, que foi um questionário, modelo survey, compartilhada em redes sociais de altoalcance.Os resultados evidenciam que existem mudanças de hábitos, por parte da população de Porto Alegre e Região Metropolitana. Foram identificados também novos hábitos que vêm sendo adotados e o quanto isso pode impactar nos comércios, principalmente noturnos das cidades.

Biografia do Autor

Alceu Ruppental Meinen, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)

Professor Orientador do MBA em Gestão Bancária e Competividade da Unisinos. Mestre em Gestão de Negócios pela Universidade de Pointers da França e Mestre em Gestão em Negócios pela UNISINOS.

Henrique Ullmann Girardi, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)

Graduado em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Mestre em Gestão em Negócios pela UNISINOS

Jonatas Guilherme da Silva Martins, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)

Graduado em Administração pela Feevale. Mestre em Gestão em Negócios pela UNISINOS.

Priscila Ledermann Lima, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)

Mestre em Gestão em Negócios pela UNISINOS.

Zélia Cordeiro dos Santos, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)

Graduada em Comunicação Social. Mestre em Gestão e Negócios pela Universidade do Vale do Rio do Sinos, com dupla titulação, vinculado a Université de Poitiers na França.

Referências

ALMEIDA, Organizadora Maria da Graça Blaya. A violência na sociedade contemporânea. EDIPUCRS, 2010.

AULETE,DICIONÁRIO;VALENTE,ALdosS.DicionárioonlineCaldasAulete.AuleteDigital. Disponível em http://www. aulete. com. br/. Acesso em, v. 9, 2014.

BAUMAN, Zygmunt. Confiança e medo na cidade. Zahar, 2009.

BEATO, F. et al. Atlas da criminalidade em Belo Horizonte. Belo Horizonte, 2002.

CNI. Retratos da Realidade Brasileira: Segurança Pública. Disponível em: < https://static-cms-si.s3.amazonaws.com/media/filer_public/7c/d5/7cd59272-ccfa- 4a51-8210-33c318969a42/retratosdasociedadebrasileira_38_segurancapublica.pdf> Acesso em: 25 de Dez. de 2017.

DA SILVA, Bráulio Figueiredo Alves; BEATO FILHO, Claudio Chaves. Ecologia social do medo: avaliando a associação entre contexto de bairro e medo de crime. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 30, p. S155-S170, 2013.

EXAME. Violência no Brasil mata mais que Guerra Síria. Disponível em:
<https://exame.abril.com.br/brasil/violencia-brasil-mata-mais-guerra-siria/> Acesso em: 02 de Jan. 2018.

FRANKENTHAL, Rafaela. 9 Fatores que influenciam o comportamento do consumidor. Disponpivel em: <https://mindminers.com/consumo/fatores-que- influenciam-comportamento-do-consumidor> Acesso em: 02 de Jan. 2018.

G1.Brasiltem21cidadesemrankingdas50maisviolentasdomundo.Disponívelem:<http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/01/brasil-tem-21-cidades-em-ranking-das-50-mais-violentas-do-mundo.html>Acessoem:12deDez.2017.

GAROFALO, J.; LAUB, J. The fear of crime: broadening our perspective. Victimology, n. 3, p. 242-253, 1978.

GAUER, Ruth M. Chittó. (org). A qualidade do tempo: para além das aparências históricas. Rio de Janeiro: Lumen Júris, 2004.
GLOBAL TERRORISM DATABASE. Disponível em:
<https://www.start.umd.edu/gtd/> Acesso em: 25 de Dez. 2017.

RAMOS de SOUZA et. al. Qualidade da informação sobre violência: um caminho para a construção da cidadania. INFORMARE – Cadernos do Programa de Pós- Graduação em Ciências da Informação, Rio de Janeiro, v. 2, n. 1, Jan./Jun, 1996

SANTOS, José Vicente Tavares dos et al. A mundialização da sociologia contemporânea:diálogosentreassociologiasnaAméricaLatina,naÍndiaenaChina. Sociedade e Estado, v. 30, n. 1, p. 243-265,2015.

SANTOS, José Vicente Tavares dos et al. Violências e dilemas do controle social nas sociedades da "modernidade tardia". São Paulo em Perspectiva. vol.18 no.1 São Paulo Jan./Mar. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-88392004000100002

SIM/DATASUS/MS. O Sistema de Informações sobre Mortalidade. S/l, 1995.

WAISELFISZ, J.J. Mortes matadas por armas de fogo: 1979/2003. Brasília, UNESCO, 2005.

WAISELFSZ, JulioJacobo. Mapa da Violência: Homicídios por arma de fogo no Brasil. Flacso do Brasil. 2015. Disponível em: < http://www.mapadaviolencia.org.br/pdf2016/Mapa2016_armas_web.pdf> Acesso em: 25 de Dez. 2017.

SEGURIDAD, JUSTICIA Y PAZ. Las 50 Ciudades Más Violentas del Mundo 2017http://www.seguridadjusticiaypaz.org.mx/seguridad/1564-boletin-ranking.
IPEA. Atlas da Violência 2017 http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=34786
Anuário de Segurança Publica, 2017. http://www.forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2017/12/ANUARIO_11_2017.pdf

Downloads

Edição

Seção

Artigos